Topo
Ju Ferraz

Ju Ferraz

Categorias

Histórico

Fofoque menos, viva mais

Ju Ferraz

31/05/2018 13h45

No dia que Marielle morreu, eu me perguntei para onde eu estava olhando que não conhecia o trabalho dessa mulher? A resposta me veio tão rápida quanto a velocidade que a angustia nos ataca no mundo contemporâneo: eu estava vendo demais a vida sem conteúdo dos outros nas redes sociais, acompanhando futilidades e me alienando mesmo sem perceber. Vivemos olhando para o lado errado, colocando foco onde não precisa ser iluminado e seguindo quem está perdido. Vivemos perdidos em fake news, em tentativas de mostrar uma vida perfeita, mesmo quando está desmoronando, em caminhos que muitas vezes não nos levam a lugar nenhum.

Mas tudo isso para falar sobre um outro lado dessa obsessão pela vida alheia: a fofoca. Esse hábito é mais antigo do que andar para frente, e está por aí, rondando a humanidade, desde sempre, mas, com as redes sociais, este hábito se tornou ainda mais frequente – e mais agressivo. Quantas especulações temos a chance de fazer todos os santos dias ao observar a vida alheia descortinada nas timelines das redes sociais? Quantas notícias sem fontes confiáveis a gente passa para frente com um simples toque no teclado do celular? Quantos cliques em manchetes sensacionalistas sobre a vida de famosos – ou anônimos – a gente dá quase que em um impulso automático?

Fofocar da vida do outro, quando se tem problemas tão pertinho de você, quando a sua própria vida está cheia de tetos de vidros e quando nos falta cada vez mais tempo para o que realmente importa, me parece, cada vez mais, inconcembível. É preciso parar de gastar horas, dias e vidas se ocupando com aquilo que não nos diz respeito. Nos tempos atuais, fofocar é um verbo que já deveria estar fora de moda. Além de extremamente deselegante, gastamos um tempo que, definitivamente, não temos e que não nos leva a nenhum lugar. Aliás, o maior objeto de luxo de todos, nos tempos modernos, é o tempo.

Não seria melhor ler, estudar, pesquisar, por os sonhos no papel? Não é melhor olhar mais para as necessidades de seu filho, seu marido, seu amigo, seu funcionário? O mundo mudou e o menos é mais, virou palavra de ordem. Palavra de ordem por um simples fato… precisamos nos unir com quem amamos, respeitar a opinião do outro, fazer e querer o bem, ouvir mais e falar menos. Chega de maldade, de mensagens subliminares, de perguntas desconexas… pra você que não tem uma vida vazia, exercite o poder do calar, do respeitar, do admirar e principalmente de não julgar. Você assim como eu, não sabe o que acontece na grama do vizinho.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

A baiana Ju Ferrazcomeçou a carreira em Salvador como assessora de imprensa, até migrar para São Paulo, onde trabalhou em diversas empresas de comunicação, criando produtos editoriais exclusivos, projetos especiais de cross media e produção de eventos. Atualmente é diretora comercial, novos negócios e de relações públicas da Holding Clube. Mais do que uma executiva competente, com anos de experiência nas mais diversas plataformas, Ju é a mulher real que não tem medo de se jogar de cabeça em novos projetos e novas ideias ou de expor suas fraquezas. E mais: está longe de se transformar em uma figura idealizada descolada da realidade.

Sobre o blog

Um espaço para pensatas, conversas, divagações e troca de experiências sobre o que é ser mulher nos dias de hoje.