Topo
Ju Ferraz

Ju Ferraz

Categorias

Histórico

De volta à Globo, Fernanda Souza se reinventa como apresentadora: "Feliz!"

Ju Ferraz

22/06/2018 17h04

Fernanda Souza é um exemplo a se seguir. Atriz desde muito nova, nunca teve medo de se jogar de cabeça nas mudanças. Ainda bem criança levou mala, cuia e a mãe para Buenos Aires, quando foi escolhida para ser uma das protagonistas de Chiquititas, já que, apesar de a novelinha ter sido exibida no Brasil – e marcado uma geração -, era gravada lá. Depois, se mudou para o Rio, para trabalhar na Globo, onde fez mais de dez personagens, em novelas e séries. Tudo ia bem, até que, mais recentemente, resolveu se reinventar mais uma vez e agregou, também, o cargo de apresentadora de sucesso ao seu currículo ao criar, comandar e arrasar no Vai Fernandinha, do Multishow.

Ah, e acha que para por aí? Muito pelo contrário, a atriz-apresentadora-influencer já está às voltas com um novo programa, agora na TV Globo, que apresentará ao lado de Luan Santana: o Só Toca Pop. "Eu sou geminiana nata, que adora se comunicar, seja através de uma personagem, através da própria Fernanda apresentando, seja na televisão aberta ou fechada, no palco, ou no canal do YouTube, nas redes sociais, ou na novela", contou, em  papo exclusivo com o blog da Ju Ferraz, no qual falou sobre os desafios da carreira de apresentadora, a relação com as redes sociais e a importância de a gente ser de verdade.

"Ninguém agrada todo mundo. Ninguém precisa ser amado o tempo inteiro. Ninguém é odiado também o tempo inteiro. Não dá para sofrer nem se vangloriar. Acho que dá para colher as coisas positivas, aprender com as negativas e seguir em frente", sentenciou. Vem ler: 

Ju Ferraz: Para onde vai Fernandinha?

Fernanda Souza: Vou nessa carreira nova, que está deliciosa. Feliz de fazer mais uma temporada do "Vai Fernandinha", estou indo para a quarta. Em outubro, o programa comemora dois anos no ar e eu nunca imaginei que em dois anos apresentando já estaria com quatro temporadas, apresentando outro programa na Globo, que é o "Só toca top". Estou muito feliz. A Fernandinha está indo (risos).

Ju Ferraz:  O que mudou em você e na sua vida depois que virou apresentadora?

Fernanda Souza: Acho muito interessante ganhar mais um lugar para exercer a comunicação, que é apresentando. Eu sou geminiana nata, que adora se comunicar, seja através de uma personagem, através da própria Fernanda apresentando, seja na televisão aberta ou fechada, no palco, ou no canal do Youtube, nas redes sociais, ou na novela… O que eu gosto é de me comunicar. Estou muito feliz de ter acrescentado essa vertente na minha carreira e estou amando muito apresentar. Sou extremamente grata ao Multishow por ter aberto as portas de uma maneira tão incrível, ao Boninho e ao Creso que lá atrás me deram a oportunidade no "The voice Brasil", ao Tiago Leifert que ficou, na época do programa inteiro, falando que eu era capaz, que eu tinha que ser apresentadora, que eu tinha que investir nisso, que não poderia deixar isso morrer. E as coisas foram acontecendo, graças a Deus, e está tudo fluindo.

Ju Ferraz: Quais as dores e as delícias de gravar as temporadas do Vai, Fernandinha?

Fernanda Souza: Eu só tenho delícias (risos). Até a parte do muito trabalho, que pode ser considerada "uma dor", para mim, não é porque eu acho importante me envolver em todos os processos do programa, isso é um pedido do Multishow. Eu participo desde a escolha dos convidados até a criação de cada roteiro para cada personagem. Depois, a gente grava o programa. Quando fica pronta a edição, eu aprovo a edição final, escrevo as hashtags. Então, até esse volume de trabalho, que durante três, quatro meses eu fico extremamente envolvida com o programa, quase me impossibilitando de fazer outras coisas, porque não é só um envolvimento físico de estar presente durante 45 dias gravando, mas também tem todo um envolvimento intelectual antes de o programa acontecer, que eu tenho que ficar pensando em ideias para os convidados junto com a equipe de criação, e depois que eu tenho que ter as ideias das hashtags para poder escrever. Todo esse tempo que é tomado para mim é prazeroso. Até isso tudo é uma grande delícia. 

Ju Ferraz:  E como tem sido a recepção das pessoas?

Fernanda Souza: Gravei há pouco tempo o "Conversa com o Bial" e ele me fez muitos elogios. Eu sou uma pessoa muito encantada com o trabalho dele, a maneira como ele conduz entrevistas e fiquei nas nuvens com os elogios. É muito bom receber esse feedback das pessoas que a gente admira, o incentivo, ver o programa no ar, os artistas sendo homenageados porque o "Vai Fernandinha" é uma homenagem. Eu estou ali de escada para fazer aquelas pessoas brilharem muito. Receber o feedback das pessoas que participam do programa dizendo que ele é extremamente comentado, que não tem um dia que não ouça alguém falar com o próprio artista como a entrevista foi incrível, que o programa foi maravilhoso. Isso para mim é a grande delícia: não só fazer, mas o resultado ser extremamente positivo para mim e para a equipe. sem eles eu não faço nada.

Ju Ferraz:  O que já pode antecipar do seu próximo programa na TV Globo?

Fernanda Souza: O "Só toca top" é um programa de rankings a cada semana. O programa vai ao ar no sábado, antes do "Caldeirão", na Globo, e sexta à noite, no Multishow. É um programa que tem ranking de todos os tipos de música. Um programa extremamente eclético, que vai ter de tudo, passando por todos os gêneros e por vários cantinhos do país. A gente vai estar ali atento a todos os cantinhos, vai ter também ranking por região do país. Acho que é um programa muito amplo, que vai trazer música de todos os tipos e quem está estourado aí, que está ali nos primeiros lugares. Acho que abre possibilidades para muitos artistas também. Tem uma aposta no programa, que são os artistas que a galera está vendo, que está ali subindo posição, que está voando e logo logo vai estar no ranking. Então, também tem possibilidade para artistas novos.

Ju Ferraz: Como foi o convite para apresentar mais um programa na TV Globo?

Fernanda Souza: É um programa muito legal mesmo, fiquei muito orgulhosa de ter sido convidada para o projeto, fiquei honradíssima, agradeço ao Ricardo Waddington e ao Raoni Carneiro, que pensaram meu nome e me chamaram para fazer. Eu topei na hora, não tinha dúvida. Dividir a apresentação com o Luan Santana está sendo incrível. Ele é um menino extremamente dedicado, do bem, talentoso, gentil, engraçado, que não se leva a sério, que sabe rir de si mesmo. A gente trabalha nesse mesmo lugar, nessa energia de se divertir, que é o mais importante. Sempre antes do programa, a gente vai para um cantinho, olha um para o outro e fala: "Bora! Bora se divertir". É isso que a gente quer. Foi muito legal fazer o piloto. Ali a gente já sentiu uma energia incrível, a plateia vibrando, cantando todas as músicas. Estamos bem contentes e não vemos a hora de o programa estrear para vocês sentirem tudo isso que estamos falando.

Ju Ferraz: Como é a sua relação com as redes sociais? Qual o limite de exposição que você se impõe (ou não se impõe)? E como não se deslumbrar com os elogios nem se deprimir com os haters?

Fernanda Souza: Acho que essa coisa do quanto dividir, do quanto mostrar varia de pessoa para pessoa. Cada um sabe o quanto se sente à vontade, o que se sente à vontade para mostrar e o que não se sente. Por exemplo, a minha família, a minha mãe, a minha irmã não gostam muito de aparecer. Elas gostam de ser anônimas e eu respeito isso. Às vezes, questionam sobre eu não postar minha mãe, minha irmã e eu explico que elas não gostam, que a pessoa famosa sou eu. Como minha mãe sempre me ensinou, é importante respeitar o limite de todo mundo, principalmente o da minha família. Eu acho que a rede social é isso, é fazer a sua verdade. Acho que á verdade nunca dá errado. Porque se ainda assim te julgarem pela sua verdade, ok, é a sua verdade. Pelo menos, você está coerente com o que você sente. Acho que isso é o fundamental da rede social: você ser você. Deixa o resto. Ninguém agrada todo mundo. Ninguém precisa ser amado o tempo inteiro. Ninguém é odiado também o tempo inteiro. Não dá para sofrer nem se vangloriar. Acho que dá para colher as coisas positivas, aprender com as negativas e seguir em frente.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

A baiana Ju Ferrazcomeçou a carreira em Salvador como assessora de imprensa, até migrar para São Paulo, onde trabalhou em diversas empresas de comunicação, criando produtos editoriais exclusivos, projetos especiais de cross media e produção de eventos. Atualmente é diretora comercial, novos negócios e de relações públicas da Holding Clube. Mais do que uma executiva competente, com anos de experiência nas mais diversas plataformas, Ju é a mulher real que não tem medo de se jogar de cabeça em novos projetos e novas ideias ou de expor suas fraquezas. E mais: está longe de se transformar em uma figura idealizada descolada da realidade.

Sobre o blog

Um espaço para pensatas, conversas, divagações e troca de experiências sobre o que é ser mulher nos dias de hoje.